26 janeiro 2015

Resenha: Tudo o que você precisa saber sobre filosofia





De Platão e Sócrates, de Ética e Metafísica até as ideias que ainda transformam o mundo, o livro essencial sobre o pensamento humano.
Autor: Paul Kleinman
Editora: Gente
Assunto/ Categoria: Filosofia, Filósofos, "Tudo o que você precisa saber sobre", Ensino
Páginas: 222
Sinopse: Descubra os maiores pensadores do mundo e suas ideias inovadoras!
Muitas vezes, os livros didáticos transformam as grandes teorias, os princípios e os valores da filosofia em discursos tão tediosos que até Platão rejeitaria. Tudo o que você precisa saber sobre filosofia corta os detalhes chatos e a metodologia filosófica desgastante e traz a filosofia de uma maneira envolvente que atrairá o leitor para explorar a fascinante história do pensamento humano.
De Aristóteles e Heidegger ao livre arbítrio e à metafísica, Tudo o que você precisa saber sobre filosofia é embalado com centenas de boatos filosóficos divertidos, ilustrações e quebra-cabeças que você não vai ser capaz de encontrar em qualquer outro lugar.
Então, se você está ansioso para desvendar os mistérios do existencialismo, ou apenas quer saber o que fez Voltaire ser conhecido como um carrapato, Tudo o que você precisa saber sobre filosofia tem todas as respostas - mesmo aquelas que você não sabia que estava procurando.



Um resumo de tudo...


Filosofia para mim nunca foi sinônimo de sofrimento. Estudar pensamentos é algo que considero não só muito interessante, mas importante. Afinal, os pensamentos movem o mundo. Se transformam em ações e geram consequências. Em outras palavras, fazem a vida. Por isso, a estranha ideia de solicitar um livro (através de parceria com a editora Gente) que tenha como assunto um resumo que promete ser descomplicado sobre filosofia. E a ideia de lê-lo por ler, já que não tenho mais a obrigação de estudar o assunto. Lê-lo por interesse e realmente amor ao saber - significado aproximado da palavra Filosofia. Esse campo do conhecimento é vasto e tudo que conhecemos já foi estudado pela filosofia. Lá com os pré-socráticos, temos exemplo da natureza e a origem da vida, muito antes do homem pensar na ciência como imaginamos hoje. Desculpe o linguajar, mas a filosofia é tão foda, que até as exatas podem ser encaixadas nela, enquanto não consigo imaginar muito bem o contrário - e sem preconceito de "Sou de humanas", porque eu conto muito bem, obrigada. Só que você, caro leitor, que está lendo este post, ou é tão louco quanto eu, ou é uma das pessoas em comum, das que não gostam de filosofia. Que acham que a frase "O guia completo para você abrir a mente sem sofrer" da capa faz todo o sentido. Bom, eu sou a louca que diz que acha que não.



Por ser do grupo não mentalmente saudável, talvez minha opinião seja duvidosa. É, talvez. Mas vamos lá. Depois de ignorar a publicidade de capa que sugere que o público alvo seja o segundo grupo citado no post, me aventurei pelas páginas. E senti falta da complexidade. Meu queridinho é Platão/ Sócrates - e sim, decorei detalhes desse ar divo todo. E sim, senti o que foi cortado do que é contado no livro ou não. Mas pensei "Caraca, tem um pouco de tudo. Explicar aprofundadamente ia fazer virar livro didático". Então, claro, deixei passar. E entendi que realmente a intenção é fazer um guia para os leigos. Não o "curso" completo. E vocês sabem, geralmente avalio os livros pela sua intenção. Continuei a ler e encontrei assuntos nos quais eu, simples estudante recém-formada no ensino médio, também sou leiga, lógico. E gostei de algumas teorias. Concordei. Discordei de outras. Anotei algumas para pesquisar mais a respeito. E senti falta do apoio amigo do professor em outras. Senti falta de detalhes. E senti falta da promessa de "aprender sem sofrer" - e só para lembrar, nunca sofri com filosofia.


A questão é que com essa promessa, você pensa em algo mais dinâmico, não é? Como era para você aprender algo por que você não tem tanto interesse "sem sofrer"? Para mim é de um modo dinâmico, que não te deixa ver o tempo passar, te prende e interessa. Talvez com um pouco de humor? Lógico que o livro não especifica nada disso e é a sua interpretação como leitor que te faz pensar nessas coisas. A minha foi essa. E eu me enganei. O jeito do livro de te ensinar sobre filosofia tentando cumprir o prometido é recortando e recortando os tópicos, os pensamentos. Por exemplo, essa parte sobre Platão. Há cortes. Detalhes ocultos. Como se fosse o essencial do que você precisa saber. Para você pesquisar mais depois se se interessar. Só que na minha opinião, em alguns momentos houve resumos demais. Achei que faltaram detalhes. E isso me deixou confusa em relação a alguns filósofos que não conhecia. Fora que não ajudou a cumprir o "um quilo de informação de estudos sem sofrer". Sim, eu gosto de filosofia. Mas aprendi com esta leitura que esse conhecimento deve ser absorvido devagar. Para você absorver. E eu quis ler o livro rápido. Por isso no final já estava um tanto saturada. Até porque, como eu disse, o autor não faz com que seja dinâmico. Apenas resume tudo. 


Por isso, é um livro bom para você começar a imergir nesse campo de conhecimento. E pesquisar por fora depois, sobre assuntos que lhe interessem. A linguagem não é complicada como em textos originais de filósofos. Por isso é compreensível se você costuma ter dificuldade com esse tipo de coisa. Os assuntos não são aprofundados. Então também não vai te ajudar muito como estudante - pelo menos eu senti que não me ajudaria para as provas que fiz no colégio, que colocavam textos originais e explicativos (e eu amava). É mais para... curiosidade. E um dos pontos positivos é a edição. Ela possui, além de fotos dos divos filósofos no meio do livro, esquemas durante as páginas. Imagens para ilustrar a explicação. O que é legal. Outra estratégia da qual o autor se utiliza para dinamizar a leitura é mesclar os pensadores e pensamentos, escolas. Ele não os organiza temporalmente. Numa ordem cronológica. O que eu achei um tanto confuso. Um tanto... "Comece a pensar nisso. Agora pare! E dê mais algumas voltas.". Por tudo isso, fica o aviso de que é um livro interessante para conhecer a filosofia, se você não a conhece bem. Mas que está longe da sua magnitude. E que eu acreditei não ser dão dinâmico como o prometido, mas sim um tanto confuso com as tentativas de dinamizar a leitura.


 Curta a fanpage da Editora Gente e saiba mais.


2 Estrelas


14 comentários:

  1. Oi Vivian|! Primeiramente, parabéns pelas conquistas aqui no blog, pela record e charme ^^ Fiquei bem feliz quando vi seu nome por lá hahah!
    Sobre o livro, sabe que não consigo ler muito livros de teorias, não adianta eu sou amante das histórias =D

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  2. Até hoje, não tenho uma opinião formada sobre Filosofia. Não era minha matéria favorita na escola, mas também não era algo que abominava. Tive apenas um professor bom de filosofia e foi no último ano, ou seja, não dava para o coitado passar tudo em seis meses (depois ele teve que ser substituído por outro professor). Então, foi uma matéria que eu não consegui absorver muito. É realmente uma pena que esse livro seja propaganda enganosa. Antes de ler a resenha, quando vi a capa, me animei e pensei "Poxa, esse livro pode ser super útil pra quem irá prestar vestibular.", mas logo que terminei sua resenha, vi que na verdade só é bom por causa das imagens. Uma pena! :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não... Ele é legal para você saber um pouco de cada assunto. Só que como eu expliquei é confuso algumas vezes e não dinamiza como prometido. E como eu disse, para quem não conhece muito ele pode até ser legal.
      <3

      Beijos

      Excluir
  3. Pelo que entendi é pra dar interesse em ir buscar novos conhecimentos sobre filosofia, não? Então acho que o livro cumpre o papel. Eu sou apaixonada por filosofia, vivia indo na biblioteca da faculdade para passar tempo lendo livros principalmente dessa área, talvez não seja o livro indicado pra mim, mas tenho certeza que será uma experiência muito boa pra quem tá começando, né?

    All about the bass ♥ não sai da minha cabeça por nada. Música boa e um pouco grudenta. haha amei a playlist e a proposta!

    beijos,

    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo, Aymée!!
      Gostei muito desse aspecto. Ele te influencia a ir atrás de mais e dá conhecimento.
      Beijos

      Excluir
  4. Filosofia era minha terceira matéria preferida na escola (perdendo só para história e literatura). Aparentemente, todas as minhas matérias preferidas são de humanas, mas eu vou fazer algo na área de biológicas (por enquanto, esse é o plano) e, no final, estava saindo muito bem em exatas (WTF?) .
    Fato é, achei que você tinha solucionado meu problema. Eu estava/estou procurando um bom livro de filosofia e pensei ter encontrado aqui, mas o livro, pela resenha, me pareceu mais confuso que promissor, continuo a busca, então.
    Eu não gosto da coisa resumida, mas achei algumas explicações ( como o paradoxo), muito interessantes, talvez eu compre só por essas "coisinhas legais".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, essas coisinhas legais.. Dá para você ver de tudo e pesquisar o que gostar mais depois. E é rápido para quem não tem muito tempo.
      Mas infelizmente há esses detalhes que eu expliquei..
      Adoro conhecer gente que ama filosofia. <3
      Acho que é outro caso de "domina português domina tudo". A interpretação é a chave. Para outros idiomas e outras matérias. Sei como é isso.. :) Isso que o pessoal fala é muito preconceito. "Sou de humanas, não sei contar...". É determinismo. Bobagem. Tá aí o exemplo do cara que faz filosofia e passou em medicina, dizendo que estudou pra vida. kkkkkkkk... Acho que tenho a capacidade de fazer o que eu quiser. Se eu quisesse fazer engenharia, faria. Física.. Medicina. Essas coisas. Mas minha paixão é outra. E onde está o amor está a facilidade e o prazer. Por isso vou pra comunicação, tentar habilitação em produção editorial. Para quê? Trabalhar com livros! \o/ \o/ Já pensei em fazer filosofia e dança também. São outros amores. Mas depois dessa faculdade... Quem sabe, né?
      Boa sorte para nós - que somos de humanas e sambamos na cara do preconceito bobo.
      Beijos

      Excluir
  5. Esse é um livro que eu preciso TUDO para saber sobre filosofia e morrer de felicidade, nossa achei esse livro tão lindo e maravilhoso, e não tenho mais palavras para dizer sobre ele e sim que quero comprar.
    Obrigada por mostrar um livro tão lindo desses e falar um pouco sobre ele também.
    Beijos
    Ceci

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bom?
    Coragem viu, confesso que eu não li mais nenhum livro do tipo, hahahah porém eu até curto filosofia, o livro parece ser ótimo para adquirir conhecimento, por isso ele já ganhou um ponto comigo, mas se eu for ler, vai ser bem mais para frente.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  7. Oii
    Eu também amo Filosofia, sempre amei no Ensino Médio. Sou de Humanas também, com o maior orgulho do mundo! Acho que se eu lesse esse livro, ia me sentir da mesma maneira. Estudei muito Filosofia, e alguns filósofos, profundamente; uma abordagem resumida não iria me interessar muito. Mas a diagramação está linda mesmo, e acho que é direcionado aos leigos mesmo, pra eles, acho que funcionaria.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrei da música que um professor de matemática cantava de brincadeira, uma paródia de "inúteis, a gente somos inúteis...". Ele cantava: "Humanas, a gente somos humanas...". E brincava citando erros e dizendo que aquele era o pessoal de humanas. Bom, no último trimestre tirei dez e não se ele lembrava que eu era de humanas. kkkkkkkkkk.. Acho esse estereótipo bobo. Mas aceito as brincadeiras e rio quando tem graça. Era um ótimo professor. Tenho carinho e admiração por ele até hoje. Por todos de que gostei na época em que estudei, aliás.
      Enfim...
      Legal saber, Victória. Como eu disse lá em cima, pessoas que amam filosofia são ♥
      Beijos.

      Excluir
  8. A propaganda de capa é um tremendo "cata-corno" pra pegar quem não entende lhufas do assunto, mas quer um método rápido e fácil pra tirar onda de intelectual ou responder questões de prova.

    "Tudo que você precisa saber sobre filosofia"
    Cof, cof! Hummm, sério isso? Toooooooooooooda a filosofia cabe em um livro? Como enfiaram tudo aí? Todos os questionamentos possíveis? A vida, o universo e tudo mais ta aí dentro? É tipo um "livro sagrado"? Não, pera... Filosofia não se limita a livros sagrados e seus dogmas...
    Hipótese 1 - O autor realmente acha que filosofia cabe num livro e começou limitando a filosofia.
    Hipótese 2 - O autor sabe que filosofia não é só isso, mas mentiu descaradamente porque considera o público alvo um bando de otários e quer vender livros.
    Começamos bem, SQN!

    Depois o próprio autor diz "o guia completo da filosofia pra você abrir a mente sem sofrer".
    Hipótese 1: ele ta afirmando que filosofia é chata e causadora de sofrimento (meio deprimente e pouco estimulante/didático um autor de livro sobre filosofia pensar assim).
    Hipótese 2: ele subestima o leitor e o coloca como um idiota incapaz de entender e gostar de pensar/questionar (filosofar).
    Nenhuma dessas hipóteses é boa.

    "de Platão e Sócrates, de ética e metafísica até as ideias que ainda transformam o mundo"
    Er... Pode ter ficado mal escrito ou mal traduzido, mas dá margem à seguinte interpretação: tem um grupo onde se encontram Platão, Sócrates, Ética e Metafísica (pessoas/ideias antigas, que já transformaram o mundo mas hoje não exercem qualquer influência) e em outro grupo as idéias atuais (que ainda transformam o mundo).
    Hipótese 1: se o livro já parte da premissa que ética e metafisica não transformam mais o mundo, bem como Platão e Sócrates ficaram no passado e suas idéias não exercem mais influência nos dias de hoje... Ta mal, ta muito mal...
    Hipótese 2: o autor não quis dizer isso, apenas não soube se expressar ou o livro foi mal traduzido e o sentido original da frase se perdeu... Menos mal, mas ainda assim é um indício de que o livro é mal escrito ou mal traduzido, chato de ler e nada divertido como promete.

    Eu não gosto de julgar o livro pela capa, mas o autor não ta facilitando as coisas... Corajosa você e otimista ao se dispor a encarar esse livro. Eu teria passado direto por ele na prateleira da livraria.

    ResponderExcluir
  9. oi. Li essa pêia de livro e sou o cara hipotético que não sabia quase nada de filosofia. Comprei achando que aprenderia num aspecto geral e me formaria uma base para me aprofundar no aprendizado sobre filosofia. O problema é que só piorou a coisa toda, não consegui entender até agora a ordem que ele estabeleceu com os filosofos e os pensamentos. Pra mim virou um bacanal de ideias na cabeça e provocou aquela confusão: sei que pensamento é, mas não sei de quem. Por mais que alguém possa exclamar que sou "zé burrão" e portanto não entendi essa pêia, não é bem por ai. Ta ruim de terminar de ler e o pensamento que me ocorre é qud escolhi um dos piores meios de conhecer a filosofia. Valeu valeu

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.