09 maio 2013

Resenha: Ninguém é de Ninguém

 Autor: Zibia Gasparetto - pelo espírito Lucius 
Editora: Vida e Consciência 
Assunto: História de grande aprendizado que envolve espiritismo 
Sinopse: Há quem pense que sentir ciúme é provar que se ama ardentemente. Até descobrir que ele transforma a sua vida amorosa em dolorosa tragédia que termina em amarga separação.  Se fizermos as contas, perceberemos que sofremos mais com as pessoas que amamos do que com aquelas que nos odeiam.  O que você chama de amor não será apenas paixão?  Você vive se inferiorizando por não conseguir atingir seus vaidosos ideais e sempre escolhe alguém que terá a terrível tarefa de fazê-lo sentir-se melhor. Tortura essa pessoa para que ela lhe dê uma exaustiva atenção, a mesma que você se nega.  Luta para ser o dono absoluto do outro, como se o fato de gostar lhe desse esse direito.  Esta história o fará refletir sobre o falso e o verdadeiro amor e perceber que a vida afetiva é um constante exercício de autodomínio.  No final descobriremos que só possuímos a nós mesmos, pois ninguém é de ninguém!







Lições e amor

  Ninguém é de Ninguém é uma história que me fez refletir muito a respeito da vida. Sou espírita e acredito no que é abordado no livro, referente ao assunto. Independente da religião, devo dizer que esta história deve ser lida, com toda a certeza, até mesmo encarada como ficção nas partes do espiritismo, para aqueles que têm algum tipo de preconceito.

   Tudo começa com Roberto sendo traído pelo sócio. Eles tinham um negócio, e Roberto confiava plenamente nele, apenas porque ele era formado em engenharia, e Roberto não, julgando-se inferior por não ter feito faculdade, o que era uma ilusão, já que ninguém é melhor que ninguém . Quando é traído, se vê desempregado e endividado, tendo que depender do trabalho da esposa até que conseguisse se levantar. O problema é que Roberto é uma pessoa extremamente orgulhosa, e tem pensamentos machistas que vêm de sua criação. Ou seja, para ele, ter que depender do trabalho de sua esposa, a qual ele nunca quis que trabalhasse, pois na sua opinião, lugar de mulher é em casa com os filhos, é algo torturante. Desde então, ele passa a ser uma pessoa resmungona, para baixo, que só sabe se fazer de vítima e ainda, mesmo nas situações, insiste que a mulher largue o emprego. Tornando-se desagradável e pouco carinhoso com ela. Além disso, um imenso ciúme que sempre existiu, passa a possuí-lo cada vez mais. Ele começa a imaginar coisas, até a ver coisas que não aconteceram, envolvendo sua esposa. Pouco a pouco, seus pensamentos o fazem uma pessoa fraca e facilmente domável a entidades ruins. 



  Ao mesmo tempo, acompanhamos a história de Renato, chefe de Gabriela, esposa de Roberto. Em casa, ele possui uma mulher ciumenta e mimada, que vive sem nenhuma atividade, somente em casa e em shoppings, e adora se fazer de vítima para qualquer problema. O tipo de pessoa que se finge de doente para conseguir o que quer e não passa um bom exemplo para os filhos, devido a essas suas "fraquezas". Renato só continua com ela, por causa dos filhos, exigindo de si mesmo, cada vez mais paciência, por amor às crianças.

  Sim, a história começa complicada e pesada. Há muitos problemas e os personagens são muito reais. Um segredo? Eu leio as histórias do Lucius considerando-as como reais... Não sei, acho que ajuda a compreender melhor, e podem até ser mesmo, para mim são... Os personagens são bem construídos, cada um com seus defeitos e imperfeições, e a parte do espiritismo, é claro, é perfeita. 

  Eu poderia listar todas as coisas boas que aprendi com a leitura, mas acabaria impedindo que outros pudessem obter tamanho crescimento... É o tipo de livro que faz você se sentir outra pessoa, muito mais madura e esclarecida. Realmente vale muito à pena. O que posso adiantar é que compreendi que cada um precisa do seu próprio tempo, dar atenção a si mesmo e deste modo vai parar de cobrar do outro, tanta atenção. Sabe esses casais que cobram extremas coisas um do outro? É porque não cuidam de si, não reservam tempo para atender algumas de suas necessidades, e acabam querendo que o outro cuide disso para eles. Outra coisa, é que se você ama alguém, tem que aceitar a pessoa como ela é, com seus sucessos e fracassos, você tem que estar lá. O amor não é um símbolo de vaidade e de aparência, ter compromisso com alguém não deve ser para se mostrar aos outros, como se o outro fosse um brinquedo novo, mas sim, deve ser uma aliança de respeito e amor, que deve ser vivida a  cada dia, pouco a pouco, e como diz a sinopse, o amor deve ser também, exercício de autodomínio. Exercício de crescimento e amadurecimento. Um treino para a paciência e ao amor ao próximo. Como diz Sócrates em O Banquete, o amor vai evoluindo, crescendo. E no final, é contemplação da sabedoria, um meio de se aprimorar e "chegar aos Deuses". Portanto, pode ser o amor, meio de provação para amadurecermos e evoluirmos. E ainda há mais muitas lições e aprendizado, que cabe a nós, ler com atenção, para captarmos.


  Em alguns momentos, pode se tornar cansativo. Eu demorei um pouco para terminar, pois havia lido Amor de Redenção anteriormente, e apesar de amar, foi muito drama. Ao ler Ninguém é de Ninguém, minha cabeça se esforçou ainda mais. No início, muitas coisas "tristes e revoltantes" acontecem. Você lê e lê, esperando a melhora, mas ela demora. Quando tudo finalmente se esclarece, é um alívio. Você aprende tanto nos momentos ruins, quanto nos bons, é só ficar atento e abrir o olho. Eu fiz uma leitura bem observadora nos conceitos do espiritismo, percebendo os erros de cada um, as situações, e é claro... Por mais que haja situações chatas, à princípio, você percebe que no final, nada é por acaso, e que não há nenhuma vítima, nem nenhum mal feitor sem recuperação... Tudo se encaixa, tudo no seu tempo perfeito.

 Não é uma história que traz diversão, mas sim aprendizado e reflexão. Você sente algo especial dentro de si, quando as coisas se resolvem no livro, principalmente no que se refere à fé e ao amor. Sente aquilo que não há palavras capazes de explicar. É a sensação de ver alguém que você acompanhou, que viu cada tropeço, cada erro, se reerguer e aprender, e isso não tem preço. Neste sentido, a leitura se torna muito prazerosa. Afinal, como não sentir prazer ao realizar novas descobertas?

  Sendo assim, dou 5 cinco estrelas, mas avaliando deste ponto: se você quer rir, se divertir, este livro não é o certo, mas se quiser aprender e evoluir, ele é perfeito. É só ler pensando em sua vida e em suas atitudes. Garanto que haverá muitos resultados.












 Resenha feita por mim, como postadora no blog Flor de Lis.

12 comentários:

  1. Gostei da resenha. Excelente! Já havia lido esse livro em 2009. Ele é muito bom e com certeza traz grandes reflexões que nos faz repensar nossas atitudes nos levando a crescer como pessoa. A meu ver "Crescer como pessoa" é o mais importante. Boa noite e ótima sexta. Tudo de bom! Abraços!

    gersonalan.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada.
      Para mim evoluir é o sentido da vida.
      Abraço.

      Excluir
  2. Oi Vivian,
    Acho que é a primeira vez que vejo uma resenha de um livro da Zíbia, eu já li esse livro, bom já li quase todos livros que a Zíbia já publicou, mas foi antes de eu ter o blog, você já leu O Matuto??? Adoro esse livro!
    Amei sua resenha me fez lembrar do livro!!!
    Beijos
    http://coracaodetinta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada.
      Ainda não li, mas vou pesquisar sobre ele.
      Beijos.

      Excluir
  3. Oi Vivian tudo bem?
    Nossa eu amo suas resenhas,adoro blogueiros que tem um certo perfil e sabe como falar e se expressar de forma única.
    Gostei de saber a resenha...acho que preciso ler rsrsrs.Vou tentar eu juro ^^.
    Cinco estrelas é d+.Não sabia sua religião,tenho bastante parente espírita.
    Parece ótima leitura e bem diferente também,já li um parecido que meu amigo emprestou mas já tem muito tempo e no meio não aguentei de tanto triste que era e parei.Além disto ele explicava mais do que contava a história,basicamente uns 20 por cento do livro era a história que estava sendo contada.
    Muito bom mesmo,que ótimo para Flor de lis ter você por lá.
    bjus querida e obrigada por tudo ♥
    Tamires C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, xD
      Leia sim, é muito bom.
      Beijos.

      Excluir
  4. Oi, Vivian!
    Esse é o livro da Zibia que mais gosto... já li muitos livros dela.
    Sua resenha ficou muito boa, parabéns.
    Beijos!

    Café com Leituras!
    http://cafecomleiturasneriana.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!

    Já ouvi falar desse livro. Não li, mas a história é bem verdadeira... Ninguém é de Ninguém mesmo...!
    Ótima resenha!

    Beijos
    http://plantaoonline.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Vivian!
    Amei a resenha!!!
    Essa é a primeira de livro espírita que leio, já que não acho muito comum nos blogs (pelo menos eu nunca tinha visto nenhuma...).
    Com certeza vou comprar esse, já que adoro esse estilo de livro.
    Bjos

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.