12 fevereiro 2015

Resenha: Convergente





Sem spoilers!
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Assunto/ Categoria: Distopia, Ficção, YA, Realidade Alternativa
Páginas: 526
Sinopse: A sociedade baseada em facções, na qual Tris Prior acreditara um dia, desmoronou – destruída pela violência e por disputas de poder, marcada pela perda e pela traição. No poderoso desfecho da trilogia Divergente, de Veronica Roth, a jovem será posta diante de novos desafios e mais uma vez obrigada a fazer escolhas que exigem coragem, fidelidade, sacrifício e amor. Livro mais vendido pela Amazon no segmento infantojuvenil em 2013, Convergente chega ao Brasil em meio à expectativa pela estreia de Divergente nos cinemas, em abril. A série segue no topo na lista de bestsellers do The New York Times.





O Final


Esta triologia foi a primeira distópica que leio, por isso o final teria que ser imprevisível para mim. Tantas coisas aconteceram no decorrer dos dois primeiros livros, que eu não deixava de me questionar, como tudo iria acabar. Como resolver essa série de problemas? Acho que é tão difícil imaginar isso porque o mundo em que vivemos também é cheio de problemas, e se soubéssemos um modo de solucioná-los, sem ser utópico, já teríamos feito. E há algo neste final que fez todos os que já leram reclamarem muito do livro. E infelizmente, antes de ler peguei spoiler. Sempre tem um amado, super ocupado, que adora comentar nas fotos do Instagram o tal spoiler chocante do final. 


(Se você é assim, apenas pare! É feio!)


Não fui uma dessas pessoas que se incomodou tanto com o final. Até porque, né? Com spoiler... Mas também não foi aquilo tudo que eu esperava. Foi uma saída inteligente da autora, eu diria, uma tentativa de finalizar de forma marcante. Se aquilo não acontecesse, ficaria mais "água com açúcar". E se observarmos a história, tal acontecimento é o que faz algo, alguém, ser lembrado. Então senti que de certa forma combinou com o livro. Algumas coisas em geral me agradaram, mas me incomodei com as voltas que a autora dá. Acontecimentos que fazem os personagens andarem e andarem sem chegar a lugar nenhum. O que também poderia soar mais real. Porque na vida nós também tentamos muito, e nem sempre chegamos logo ao desfecho impressionante. Porém, em comparação com Insurgente, teve menos ação. A distopia, a ideia de reflexão da autora, continua ótima para mim. O que me ganha nessa triologia é exatamente isso: a proposta de pensamento que ela te dá. As fações e as ideologias humanas, os sistemas. Qual é o melhor? Onde está o problema? Para concluir o que eu suspeitava desde o primeiro livro: o problema é o ser humano e o excesso de poder nas mãos de alguns. As desigualdades.


Convergente é o livro no qual descobrimos, finalmente, o que há do lado de fora da cidade de Chicago, onde se passa a história. E então vemos que o mundo criado por Veronica Roth está mais próximo de nós do que imaginávamos. É palpável a crítica ao desenvolvimento científico-tecnológico e ao controle que ele dá ao ser humano. Gostei muito de ver as citações à genética e o conflito em que isso coloca os personagens. Tudo isso dá mais credibilidade e solidez à história. Cada detalhe é pensado e bem bolado pela escritora. Tanto que a enrolação eu eu falei pode passar despercebida. Você aceita aquilo como algo da vida, um momento de aceitação dos personagens diante da nova realidade. E isso para alguns pode ser chato, e para outros pode ser fundamental, pois dá base ao psicológico dos personagens. Também temos muitas revelações sobre a mãe da Tris, que mudam o modo como ela era vista. E fazem a protagonista refletir sobre suas origens e si mesma.


Também senti nessas citações sobre genética uma referência ao mundo que temos hoje. Sem entrar em detalhes para não dar spoilers, digamos que alguns no livro são considerados menos capazes por causa de suas características, e que isso está nos gens. Na nossa história também encontramos situações em que o homem julgou que um era superior ao outro por causa de características biológicas. Os vestígios perduram até hoje. E os excluídos no passado viveram muito tempo à margem, e ainda lutam por seu espaço. Não sei se essa foi a intenção da autora. Alertar para tais desigualdades. Mas é fato que os excluídos socialmente estão presentes no livro, em desvantagem aos considerados melhores. Alguns ainda tendo a oportunidade de lutar. Quando pensei nisso aplaudi, porque não costumo ver tal questão nos livros. O mais comum é que os excluídos de hoje também sejam excluídos nas histórias. A maioria dos personagens é branca, com características de acordo com o padrão: cabelo liso, beleza... E recentemente cachos foram permitidos. E só! Quando se fala de romances, então, difícil é ver hoje uma mocinha se apaixonar por uma cara pobre. Gostaria muito de ver uma distopia que falasse sobre essa questão, pois então verdadeiramente teríamos uma crítica modificadora.

Minha conclusão é que Convergente terminou a história bem. A distopia me conquistou com tudo. E o romance sem sal nos dois primeiros livros ganhou um tempero no último. Aceitei melhor, já que dessa vez houve um pouco menos de mimimi da parte de Tris e Quatro. Sim, só torci mais no último livro, o do final bombástico. Acredito que gostar ou não dos acontecimentos que encerraram esta história depende muito do leitor. Ou você aceita ou ama ou odeia. Eu aceitei. Apenas. E entendi a autora. Achei que combinou com a história, com os acontecimentos anteriores. E sim, recomendo a série, mesmo que você possa não gostar do final. Vale a pena. As doses de ação e os conteúdos maravilhosos para refletir. Uma boa distopia.

4 Estrelas



19 comentários:

  1. Vivian do céu! Ler sua resenha me deixou completamente louca de ansiedade. Eu só li "Divergente" e amei a história, estou muito ansiosa para ter os dois últimos volumes em mãos para finalmente lê-los. Estou tomando cuidado em relação as minhas expectativas e, principalmente, ler resenhas, pra não correr o risco que correu. Como sei que suas resenhas são livres de spoilers, li sem problemas e confesso que você me deixou com uma vontade enorme de voltar a ler essa trilogia. Preciso saber sobre esse desfecho da história! Você disse uma coisa que achei bem importante. Muitas vezes nós lemos determinadas histórias e o final não nos agrada, mas o interessante é você tentar se colocar no lugar do autor e entender seu ponto de vista. Será que deveria realmente ser diferente? Ou simplesmente deveria ser assim? E simplesmente aceitar. A autora teve um propósito para terminar do jeito que terminou, nós leitores, devemos respeitar o que foi escrito.

    ResponderExcluir
  2. Bem, quando li Divergente foi aquele alvoroço..e não via a hora de ler as sequencias. Daí, consigo Insurgente..e?? Me decepcionei demais..Confesso que terminei a leitura porque sou teimosa..a vontade era jogar o livro longe. Não desenrolava..e Tris estava me dando nos nervos.
    Convergente está ali na estante e vira e mexe olho ele, sem ânimo algum..rs
    Talvez agora eu me anime a lê-lo, já que sou fã dos finais imprevisíveis e que a maioria abomina.
    Isso de colocar ficção e realidade juntos, ou ao menos nos fazerem pensar sobre isso, é o grande foco da distopia.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Oiee.
    Nossa, dá vontade de matar esses chatos que ficam soltando spoiler por ai.
    Confesso que não sou muito de ler distopias, não que eu tenha algum preconceito, mas é complicado quando ninguém mais da sua rede de "amigos leitores" leem, você fica sem ter com quem pegar emprestado pra fazer um "teste".
    Essa trilogia eu tenho vontade de ler, não é algo que queira muitíssimo mas minha curiosidade é tamanha que já me convenci de que preciso ler algum dia.
    Não tenho muito o que falar desse livro pois não li os anteriores, mas pela sua resenha dá pra se ter uma ideia de que é um livro (apesar de não ter tanta ação) com revira voltas bem legais. E que bom que a enrolação não deixou a leitura chata e cansativa.
    Concordo com você em relação aos esteriótipos de beleza que se tem nos livros, sempre são pessoas brancas, ricas e todas essas coisas, gostaria de ler um livro que não fosse por essa linha.
    Bjokas e até mais!

    ResponderExcluir
  4. NÃO TENHO NENHUM PROBLEMA COM SPOILERS, JÁ SABIA O QUE ACONTECIA NO FINAL MAS MESMO ASSIM LI A TRILOGIA INTEIRA SEM NHUM PROBLEMA.
    NÃO NEGO QUE ODIEI O FINAL, ACHEI MUITO PRECIPITADO POR PARTE DA AUTORA.
    A TRIS PASSA POR TUDO, POR QUASE TODOS OS SOROS INCLUSIVE O MAIS PERIGOSO DE TODOS, O DA MORTE. MAS ENFIM, A CULPA NÃO É MINHA MESMO, MAS SE PUDESSE MUDARIA O FINAL DELE.

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Vivian! :)

    Eu ainda não li nenhum dos livros de Divergente, mas, já sei bastante coisa, graças aos spoilers ç_ç
    A estória parece ser ótima e achei bem interessante tudo isso que você apontou em sua resenha que autora trabalhou no livro. Ela passou uma mensagem, através da estória e isso é bem incrível. É realmente raro um livro falar dessas desigualdades ou colocar personagens diferentes do padrão 'certo'. E a Veronica merece parabéns só por ter feito isso.
    Apesar de todos os pontos positivos, ainda não tive vontade de ler Divergente. Quem sabe no futuro?
    Amei sua resenha, foi muito bem escrita!

    Beijos e até! :*

    http://dreams-books-love.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Bom.. como sempre eu sou a ultima a saber.. então.. eu ainda não li nenhum.. deles.. só vi o primeiro filme e gostei bastante.. e até que os spolers ainda não chegaram até mim.. ou eu sou muito lerda e não entendi..

    ResponderExcluir
  8. Oii Vivian, confesso que li sua resenha muito por cima. Estou com muito medo de spoiller. Aliás, já recebi um pouco, mas não estou querendo acreditar ainda sabe ? Eu não li os livros ainda, mas vi o primeiro filme e estou apaixonada e agora preciso comprar a trilogia. Estou me segurando muito para não comprar esse mês, já que prometi a mim mesma que não compraria nada esse mês .
    Adorei a foto da gatinha, hhahaha, a minha é igualzinha, kkkk
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oii
    Divergente, é uma das minhas trilogias favoritas. Também acho que teve muitas voltas em Convergente, e que observando por uma perspectiva, pareceu um livro forçado, no sentido de que a “verdade” que todos escondiam tenha sido despejada nesse último livro, não era como se você tivesse muitos sinais sobre a “genética” nos livros anteriores. Sobre o final, também recebi spoiler ano passado, antes de ler, e também foi no Instagram -.- Achei o final convincente, adequado, aceitável, condizente... Você já sentia desde o final do primeiro livro, que o final da personagem seria esse. E chorei demais, nem posso descrever o tanto que chorei, ela sempre foi uma das minhas personagens favoritas <3
    É isso que gosto nas distopias, principalmente, a Divergente, essa aproximação com nossa realidade.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Ainda não li a série!! Não tenho o costume de ler distopias mas acho que vou começar! É sempre bom inovar o gênero literário e eu sempre acabo nos romances! rsss! Também não vi os filmes porque prefiro ler primeiro! Se tem uma coisa que me irrita é spoiler, detesto e também não faço nas minhas resenhas em respeito ao leitor do blog! Parabéns pela resenha sem spoiler, me fez ficar com vontade de conhecer a série (ao falar sobre o final super comentado e também em como a sociedade distópica se aproxima da nossa) sem tirar a graça de quem ainda não leu!!

    Beijos,

    Mari
    cantinhodeleituradamari.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Vivian!
    Vejo bons comentários sobre a série, que por sinal é mais uma que ainda não li, mas é bem desejada, que o final, nesse livro Convergente, não foi dos melhores.
    Acho a série carregada de aventuras inesperadas e gosto muito do tema distopia porque sempre surgem novas situações inesperadas, tornando o livro uma tremenda reviravolta...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  12. Oi! Gosto de distopia e ultimamente não tenho me decepcionado, ao contrário. Mas não consigo gostar dessa trilogia, muitos elogios e muitas criticas me deixam um pouco com medo. Mesmo assim a história não me envolveu, não achei emocionante o mundo que a autora criou, mas uma coisa que achei lida é a capa desse último livro, parece que passa exatamente a ideia do livro, uma verdadeira luta, o desfeche final.

    ResponderExcluir
  13. Oi gostei muito da trilogia, mas o final foi decepcionante. Achei que a autora não explorou corretamente o final da Tris e do Tobias. Para mim o que aconteceu deveria ser a aceitação de quem eles realmente eram e a libertação de ambos, para enfim poderem viver o amor deles na nova Chicago. Não mudaria o que aconteceu totalmente, mas faria com outro foco, sem no entanto mudar a mensagem dada. Enfim para mim foi um final incompleto. Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  14. To curiosa com esse final de tanto que falam dele! Nunca tinha me interessado por essa trilogia mas agora não sei, to vendo ela com outros olhos.

    ResponderExcluir
  15. Misericórdia, alguém morre, é isso o.O ? Não me fala, vou descobrir u.u !!
    Vou começar te parabenizando pelo gif, concordo plenamente, dar spoiler é feio. Se a pessoa pedir, ok, foi uma opção dela, mas não é justo com aqueles que preferem ler a partir do inesperado, não mesmo (ainda não perdoei o spoiler de "Quem é você, Alasca?").
    Como já dito, li "Divergente" e iria começar "Insurgente", mas devido a alguns comentários decidi adiar a leitura.
    Você me deixou bastante intrigada quanto ao desenvolvimento dos livros, mas a Tris é uma personagem que me irrita, vou ter que ter muita curiosidade e força de vontade para ler todos os livros.
    Acredito que o melhor ponto é realmente a parte onde a autora trabalha os problemas e valores da sociedade, sim, a distopia se assemelha muito a nossa realidade.
    Fico bem triste em ver que a literatura, capaz de influenciar e mudar, continua padronizando os "mocinhos" e "mocinhas".
    É raro encontrar um/uma protagonista negro(a) ou pobre, ou com alguma deficiência. Um livro que abordasse algo real, temas passivos de debates, seria algo que me deixaria muito feliz. Espero que os escritores ousem, pois talvez eles nem saibam do poder que possuem.

    ResponderExcluir
  16. Oi Vivian, não sou muito fã desse tipo de leitura, mas já ouvi falar bastante da triologia, mas como li nos comentários , você começa a ver por outros olhos.
    ps:adoro suas resenhas por simplesmente postar fotos de trechos do livro =)

    ResponderExcluir
  17. Oi Vivian :}

    Ainda estou no primeiro livro, e assim como você peguei um GRANDE soiler, então já sei como termina. Confesso que por um lado eu esperava o clichê todo, tudo resolvido e todo mundo feliz, mas gostei do que a autora fez. É uma pena que ela não soube trabalhar com os personagens logo no final de uma trilogia tão boa .. Bem, vamos ver o que vou achar, tô animada com a leitura!

    Beijos
    Passeando com os livros

    ResponderExcluir
  18. Nunca me interessei pela trilogia, mas os seus textos são tão bons que despertam curiosidade.

    Acho que de alguma forma trata de temas interessantes como a desigualdade social, a luta contra os problemas e a busca por uma forma de solucina-los.

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Gosto muito de Distopia li convergente não foi o melhor livro da serie para mim mas gostei não esperava que acabace me surpreendeu muito desde o começo o rumo que a historia levou para mim o final não estraga o livro eu entende as razões de ter acabado assim, gostei muito dessa distopia !!!

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.