18 setembro 2013

Trechos: Vivendo, Amando e Aprendendo - Leo Buscaglia





 Olá! Finalmente venho aqui fazer o que havia prometido desde a resenha do livro. Este livro se tornou um dos meus favoritos. Leo Buscaglia consegue falar sobre o amor de uma forma incrível. Sabe aqueles livros que você lê e quer conhecer o autor? Quer ficar horas conversando com ele? Quer ser amigo dele? Vivendo, Amando e Aprendendo é um livro assim. E eu senti que na resenha que fiz não consegui expressar nem metade da genialidade do livro, de tão incrível que ele é. Então decidi fazer um post com trechos dele, para vocês sentirem um pouco mais dessa alegria que o livro traz em seus dias.







"É só isso que a gente pode fazer - não se pode forçar os outros a comerem, de modo algum. Nenhum professor jamais ensinou alguma coisa a alguém. As pessoas aprendem por si. Se examinarmos a palavra "educador", vem do latim, educare, que significa dirigir, conduzir guiar. É isso que quer dizer, guiar, ser entusiasmado você mesmo,compreender-se e apresentar o assunto aos outros e dizer: "Veja como é maravilhoso. Venha comer comigo". "



"Imaginem como seria o mundo se todos nesta sala tivessem a oportunidade de serem encorajados a serem um ser humano singular. Mas sabem o que é que me parece? Que a essência do nosso sistema educacional é tornar todos iguais uns aos outros. E depois que fizemos isso nos consideramos muito afortunados mesmo. Vemos isso em sua singularidade. Estou interessado em saber se consegui lhe transmitir o meu ego, e se você conseguiu me imitar fui um mestre bem sucedido."



"Sabemos que isso está errado, mas ninguém faz nada a respeito. Você pode ser um gênio. Pode ser um dos maiores escritores do mundo, mas só pode ingressar na universidade se for aprovado em trigonometria. Para quê! Não pode sair do ginásio sem ser aprovado nisso e naquilo e naquiloutro! Não pode sair do primário sem fazer isso e isso e mais isso! Não se trata de quem você seja. Veja a lista dos que abandonaram os estudos: Willian Faulkner, John F. Kennedy, Thomas Edison. Não suportaram a escola. "Não quero aprender a subir nas árvores perpendicularmente. Nunca vou fazer isso. Sou um pásssaro. Posso voar até o topo da árvore sem ter de fazer isso." "Não importa, é uma boa disciplina mental"."




Ele cita Leo Rosten: "De certo modo, porém, pequeno e secreto, cada um de nós é um pouco louco... No fundo, todos se sentem sós e querem ser compreendidos; mas nunca podemos entender inteiramente outra pessoa, e cada um de nós permanece meio estranho até para os que nos amam... Os fracos é que são cruéis; só se pode esperar a brandura dos fortes... Os que não conhecem o medo não são realmente valentes, pois a coragem é a capacidade de se enfrentar aquilo que se pode imaginar... Compreendemos as pessoas melhor se olharmos para elas - por mais velhas ou imponentes que pareçam - como se fossem crianças. Pois a maioria de nós nunca amadurece, apenas fica mais alta... A felicidade só chega quando impelimos os nossos cérebros e corações aos extremos do que somos capazes... O objetivo da vida é importar - contar, representar alguma coisa, fazer com que a nossa vida conte alguma coisa."



"Além disso, o conceito de si - quem somos - aprendemos principalmente com a família. É por isso que a família tem uma responsabilidade enorme. Ninguém jamais ensina as pessoas a serem pai e mãe. Você de repente tem um filho, e pronto. Embora possa sentir a responsabilidade, você só pode filtrar isso pelo que você é. É por isso que eu disse hoje que a coisa mais importante do mundo é você se tornar a pessoa maior, melhor, mais maravilhosa e afetuosa do mundo, pois é isso que você vai dar ao seu filho e a todos que conhecer."



"... Lembro-me da luta pela perfeição. Educação física era um setor em que todos devíamos ter uma oportunidade. Se não sabemos jogar bola, então aprendemos a jogar bola do melhor modo possível. Mas não era isso; estávamos buscando a perfeição. Havia sempre aqueles caras grandalhões ali, e eram os astros. E lá estava eu, magricela, com meu saquinho de alho pendurado ao pescoço e calções que não me serviam e perninhas esqueléticas. Eu ficava ali na fila, esperando ser escolhido, e morria todos os dias de minha vida. Vocês devem se lembrar, ficavam todos em fila e os grandões ali, os peitos estufados, dizendo: "Quero você", e "quero você", e você via a fila indo embora e você ainda lá. Por fim, restavam duas pessoas, um outro pequenino e você. E então diziam: "Bom, fico com o Buscaglia", ou "fico com o velho wop", e você saía da fila morrendo porque não era a imagem do atleta, não era a imagem da perfeição que eles buscavam."




"O conhecimento não é sabedoria! A aprendizagem só em em si não é sabedoria. A sabedoria é a aplicação do conhecimento e dos fatos. A sabedoria é se dar conta de que você não sabe nada. A sabedoria é dizer: "Minha mente está aberta. Onde quer que eu esteja, estou apenas começando. Há cem vezes mais coisas a perceber do que conheço". Isso é o princípio da sabedoria."




"Se não tivermos esperanças, temos todas as coisas, disse Buda. Amem porque têm vontade de amar. Deem porque têm vontade de dar. As flores florescem porque precisam, e não porque há gente admirando-as! Vocês vivem e amam porque querem. Porque precisam."




"A vida está nas suas mãos. Vocês podem escolher a alegria, se quiserem, ou podem encontrar o desespero onde quer que olhem. É tudo seu. Por que é que algumas pessoas sempre veem céus lindos e grama e flores belíssimas e seres humanos incríveis, enquanto outras têm dificuldade em encontrar alguma coisa ou lugar que seja belo? Diz Kazantzakis: "Você tem o seu pincel e suas tintas. Pinte o paraíso e depois entre nele". Não importa as cores que estiver usando agora. Sempre pode escolher outras."




"... Ensinamos às pessoas tudo no mundo, a não ser a coisa mais essencial: a vida. Ninguém nos ensina sobre a vida. Supõe-se que você saiba a respeito. Ninguém lhe ensina a ser um ser humano e o que significa ser um ser humano, e a dignidade das palavras: "Sou um ser humano". Todos supõem que isso seja uma coisa que você tem, ou devia ter adquirido por osmose. Pois não funciona por osmose!"




"Mas não ouço mais muitos risos. Nós não rimos. As coisas não são engraçadas. Nós nos esquecemos de ser alegres e pior, esquecemos e não aceitamos a nossa loucura. Encaremos os fatos: cada um de nós é um pouco biruta. Ah, a alegria de entrar em contato com essa birutice!  Viva loucamente. De vez em quando, só às vezes. E veja o que acontece. Alegra o dia."




"Por certo podemos conversar juntos, e podemos trabalhar juntos, e podemos aprender juntos, mas, no final, cada qual tem que definir a sua vida individual, pois é a sua vida, só, e de mais ninguém. E não há outro meio."




"Por que protegemos as crianças contra a vida? Não admira que tenhamos medo de viver. Não nos dizem como a vida é de verdade. Não nos dizem que a vida é alegria, assombro, magia e até enlevo, se você se envolver bastante. Não nos dizem que a vida também é dor, sofrimento, desespero, infelicidade e lágrimas. Não sei de vocês, mas não quero perder nada. Quero abraçar a vida, e quero descobrir de que se trata. Não gostaria de passar pela vida sem saber o que é chorar. É para isso que tenho canais lacrimais. Se não houvesse intenção de eu chorar, eu não os possuiria. Não faz mal chorar um pouco. Sempre acho que as lágrimas limpam os meus olhos."




"... as pessoas lhe disseram quem você deveria  odiar, quem amar, o que era importante, por que era importante, todas as palavras. E você acreditou. E ainda está às voltas com isso."




"Como todas essas coisas são aprendidas, quais são algumas das coisas que nos poderão unir, algumas das coisas que precisamos saber sobre a união, os relacionamentos, o interesse, o amor? A primeira é tão essencial, porque temos um conceito muito louco na nossa cultura, do que se chama amor romântico. É por isso que tantos entre nós se desiludem! Continuamos a acreditar mesmo no que nos contam nas revistas musicadas, que olhamos uma sala cheia de gente e lá avistamos aqueles olhos especiais que estão à nossa espera, há 20 anos. Vocês são atraídos, se abraçam e saem para o pôr-do-sol e nunca têm problemas. Que pena! E o que é feito daquele lindo namoro, em que você se comporta maravilhosamente e ela também? Ela sempre está linda, cada vez que você chega. Você é sempre (gentil). Até leva flores e bombons. Diz a ela como está linda e depois se casam e no dia seguinte você pergunta: "Quem é você?" Ela de repente aparece de rolos nos cabelos. Você diz: "Meu Deus! Casei-me com um ser espacial!" Não seria bom que, uma vez no namoro, ela atendesse à porta e dissesse: "Olhe, eu uso rolos no cabelo. Assim, se você se horrorizar com isso, paciência". Por que não? Apresentando-se como é você tem que reconhecer que, se espera que um relacionamento continue numa lua-de-mel de perfeição, vai se desiludir."




"Depois creio eu que os relacionamentos de amor e a união são feitos no céu, mas têm que ser praticados na Terra e às vezes isso é muito difícil. Aliás, não conheço nada mais difícil. Estou preparando um livro sobre relacionamentos afetivos e fiz muitas pesquisas sobre o que considero o aspecto mais dinâmico do comportamento humano... e não consigo descobrir muita coisa. Se você quiser aprender sobre os relacionamentos amorosos, verá que é trabalhoso. Claro, os relacionamentos amorosos podem trazer sofrimentos. Unir-se a outro e ter que ceder parte de seu ser pode trazer sofrimento. Mas você também pode aprender com a dor. Fico deveras aborrecido ao ver que, na nossa sociedade, ninguém quer qualquer tipo de sofrimento. No minuto em que você começa a sofrer, começa a tomar comprimidos ou a se afogar no álcool, sem saber que a maior aprendizagem pode ocorrer num estado de dor e desespero. A diferença é que você experimenta isso e não se agarra a isso. É doentio agarrar-se ao desespero. Você o experimenta e o larga. Há grandes momentos em todas as nossas vidas, que foram desesperadores. Se você olhar para trás e vir que os usou direito, eles lhe ajudaram a crescer e a se tornar uma pessoa muito maior."




 É demais! Fico muito feliz de poder dividir isso com vocês. Ler Leo Buscaglia é sentir que o mundo tem verdadeiramente chances. Pessoas como ele. Vemos que o mundo tem pessoas boas, tem quem pense, quem ame, quem escolha viver e principalmente aprender. Aprender deveria ser algo empolgante, deveria ser criar também. E não só absorver sem refletir. Deveríamos amar mais. Deveríamos sorrir para as pessoas, amar a todos. Mas como fazer isso num mundo como o nosso, em que nem se confia mais nos outros? Talvez aí esteja a maior dificuldade e o maior mérito também. E se existissem mais pessoas com pelo menos um pouco do amor desse autor, o mundo seria um lugar melhor. Reflitam, amem, vivam e aprendam!










4 comentários:

  1. Olá, tudo joia?!
    Está lindo seu blog, já estou te seguindo...
    Segue o meu tbm, eu iria adorar!!!
    http://manyelly.blogspot.com.br/
    http://www.pinterest.com/manyelly/
    Sucesso para você!!!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Oi Vivian, tudo bem? Esse livro é um livro só de pequenos textos? Achei as reflexões bem profundas e pertinentes. Engraçado como a gente se identifica com muitas destas frases. Eu, particularmente, gostei muito desta: "Por certo podemos conversar juntos, e podemos trabalhar juntos, e podemos aprender juntos, mas, no final, cada qual tem que definir a sua vida individual, pois é a sua vida, só, e de mais ninguém. E não há outro meio."

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como falei na resenha, o livro é uma coletânea de palestras do autor. Ele foi louco o bastante para sair por aí espalhando o amor, dando "aulas" sobre ele. E então o livro é como se fosse uma conversa com ele, que conta sobre sua vida, suas experiências e vai dialogando conosco, nos mostrando como é bom amar. É o tipo de livro que te deixa feliz. haha...
      Beijos. :)

      Excluir
  3. Ola bom dia , tudo bem ?
    Eu gosto muito do livros do Léo Buscaglia , e estava procurando um livro dele chamado ,(Assumindo sua personalidade) , e encontrei seu blog , achei sensacional , um grande abraço ..

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.