24 junho 2013

Resenha: Cores de Outono







Editora: Novo Século
Autora: Keila Gon
Assunto: Romance e fantasia
Sinopse: O inesperado, o impossível, o destino... Quem ama escolhe seus caminhos, vence o medo, ultrapassa a razão, duela com a dúvida entre o certo e o fácil para seguir seu coração. Melissa encontrou em um olhar as revelações de toda uma vida e longe da lógica escolheu o caminho confuso, mas surpreendente do amor. Ela chegou à pequena cidade da montanha com a responsabilidade de cuidar de Alice, sua irmã caçula, esperando uma vida simples. Mas se viu envolvida por Vincent, um estranho arrogante, dono de irresistíveis olhos turquesa que vai levá-la através da sombra e da luz para revelar surpresas inimagináveis de um Mundo Mágico perigoso e fascinante. A cada encontro este homem misterioso amedronta e encanta; desperta sentimentos e a faz duvidar de sua coragem. Mas, antes que Melissa seja arrebatada por esse amor, ela precisa enfrentar elfos, magos e intrigas em um mundo inóspito que testará seu coração. Cores, de outono é o primeiro volume de uma saga mágica que vai instigar emoções e paixões.








Humano, mágico... Real e irreal






 Keila Gon conseguiu unir realidade e fantasia de uma linda forma. Os conflitos e as emoções são tão humanos, tão naturais, e ao mesmo tempo, há um lindo mundo mágico por trás de tudo, fora da realidade, mas dentro de nossos corações. Simplesmente incrível. Com muito amor e dedicação, a autora dividiu conosco um pedaço de sua alma. As emoções são vívidas, e os sentimentos saltam para cima de nós, nos atingindo em cheio e fica impossível não se apaixonar. Nem preciso dizer que caí de amores por Cores, não é?

  Tudo começa com Melissa se mudando para a casa do avô, com sua irmã Alice. O motivo? Há pouco sua mãe e o pai de Alice faleceram. E Melissa fica encarregada de cuidar da irmã mais nova. Nossa mocinha fica nervosa, é claro. De uma hora para outra, seu mundo vira. Além de perder alguém que ama, agora tem a responsabilidade de cuidar de uma adorável  e frágil vida. Ao ir morar com o avô, a quem carinhosamente chama de Opa (avô em alemão), sente mais segurança, por estar perto de mais alguém que ama e que é importante para ela. George é, de certa forma, uma figura paterna para Melissa e isso a ajuda a passar pelo momento difícil. Assim como o ajuda, já que a avó de Melissa também faleceu não faz muito tempo, e ele ficou sozinho na casa onde Melissa passara dias de sua infância. O tempo passa, e a pressão inicial vai passando também. E a atmosfera inicial que podemos captar é o grande amor que Melissa nutre por sua família. Como eu disse, o sentimento é presente no livro. O início de Cores de Outono, me levou a Campo Alto, e eu me senti em meio à calma da cidade, e confortável com a nova fase que Melissa iniciava em sua vida. Sabe aquela sensação de viajar para um lugar tranquilo? É a descrição perfeita para o início de Cores de Outono. De aconchego, proximidade à natureza e amor.

  E então, pouco a pouco, vamos conhecendo melhor Melissa, e seu gênio. O que posso dizer é que a personagem é realmente humana. Seus sentimentos são reais e não gente, ela não é uma protagonista feminina com problemas de discernimento. Ela tem "problemas" com seu gênio, mas tem bom senso na medida do possível. Sentimos tais revelações desde o momento em que Mel é quase atropelada por uma SUV BMW preta, na frente de sua casa. A partir daí, encontros acontecem com o mesmo carro, e até dado momento, ela não sabe quem é o motorista. Em todos os encontros, a SUV vem sempre em alta velocidade, parecendo disposta a passar por cima de quem está no caminho. Tanto que seu apelido passa a ser "a SUV homicida". Pelo apelido dado, percebemos que Melissa não é muito simpatizante com o dono do veículo, não é? Até conhecê-lo. Quando o conhece, as primeiras impressões não são muito boas. Depois de encontros rápidos, Melissa finalmente fica próxima a ele, por um tempo "considerável".



  "Antes que percebesse, meus olhos ficaram presos na figura fascinante.   O homem alto de ombros largos usava um combinado preto, simples e perfeito. Seu físico atraente se movia na roupa justa enquanto ele caminhava ao meu encontro como um felino, elegante e sedutor. Seu rosto possuía traços fortes, bonitos, mas sérios e de certa forma ele parecia triste. As sobrancelhas grossas emolduravam olhos penetrantes e o nariz reto, bem definido, completava lábios assimétricos. Seu cabelo liso, um pouco comprido, caía em mechas na testa fazendo o contraste de preto e branco. E essa aparência irreverente conferia-lhe um charme enigmático... irresistível. A imagem merecia um suspiro, se eu estivesse respirando."



  Ao ver melhor Vincent, a atração que sente é incrível e incontrolável. Há algo no homem dos olhos turquesa que desperta em Melissa seus mais profundos sonhos e desejos. Ainda assim, nas diversas vezes em que se encontram, a tensão entre os dois é evidente. E eu não me refiro à tensão de desejo e amor. Falo da tensão de desentendimentos. Por diversos motivos. Vincent, com seu jeito "carrancudo", e Melissa, com seu gênio orgulhoso e irritadiço. Como eu disse, sentimentos humanos e reais. A verossimilhança é impressionante. O que acontece entre os dois é real em muitos sentidos. É o tipo de romance que você sabe que existe. Um amor que tem brigas, orgulho ferido, ciúme, preocupação e toda aquela tensão inicial, mas que supera tudo, pois os sentimentos amorosos prevalecem. Vou deixar para falar melhor do relacionamento dos dois na reflexão, pois não quero dar spoiler. E como vocês sabem, a reflexão é para quem já leu, na maioria das vezes. Mas gostaria de acrescentar que o relacionamento também é mágico, o amor dos dois é algo impressionante. Foi impossível para mim não me identificar e me ver suspirando junto da Melissa. 




 "Vincent era o exemplo irritante dos opostos e parecia ter a dualidade como base de sua essência. Isso estava me enlouquecendo! Ele era o cavalheiro carrancudo, o gato manso e o tigre feroz; com seu olhar penetrante era capaz de seduzir, mas também aterrorizar... e tudo isso dentro de um único homem. A personificação da confusão."



  Apesar de haver toda essa magia entre eles, há algo realmente mágico que os separa. Vincent tem um segredo, e isso vai mexer com as coisas entre os dois, de diversas maneiras. Devo confessar, fiquei surpresa com este segredo de Vincent. Não no sentido de ele ter um, mas por ele ser o que é. Eu não sabia o que esperar muito bem, mas o que foi revelado me deixou muito contente. É algo inovador. A mitologia de Cores de Outono é extremamente linda, irreverente e inovadora no quesito romance. Sabe esses surtos de mitologias semelhantes que surgiram por aí? Esquece isso com Cores. Que eu saiba, não tem livro com o "mocinho" sendo o que Vincent é. E isso é realmente muito bom. Claro que Melissa fica curiosa com as coisas estranhas que acontecem com ele por perto, tanto quanto você que está interessado na história está agora, e então ela o pressiona pedindo respostas. No momento certo, tudo é revelado. E garanto que tais revelações são de tirar o fôlego.

  Amei Vincent e Alice, agora eles e outros personagens deste livro fazem parte da minha família literária. Então claro que eu não poderia deixar de falar sobre outros queridos personagens que eu queria poder abraçar, um por um, bem apertado. Alice é incrivelmente fofa. Sem mais. Imaginem toda a doçura que uma criança pode oferecer, e mais olhos verdes brilhantes e cabelos ruivos lindos, e claro, uma inteligência incrível. Quando eu imagino os olhos de Alice, eu imagino bondade e amor. A relação que ela e Melissa têm é apaixonante, um laço que vai muito além do sangue. Um laço de amor. Não consigo imaginar uma sem a outra, e isso é simplesmente perfeito. Opa também não fica atrás. Realmente há nele um sentimento de pai para Melissa, e mesmo com suas "implicâncias", o seu coração é grande, e claro, só quer a felicidade de suas protegidas.

  Na vizinhança da casa amarela em Campo Alto, há amigos da família de Melissa. Lucila, seu marido e seu filho, Arthur. Na infância de Melissa, este último adorava implicar e se divertir às custas dela e da própria irmã (que não mora mais com eles quando Melissa retorna). Claro que Melissa, com o gênio que tem, a princípio mantém certa relutância com Arthur, ainda mais com suas brincadeiras sobre a incrível falta de jeito da amiga. Sim, eu disse amiga. Esse receio vai embora pouco a pouco, e a amizade se intensifica entre os dois. Até percebermos que Arthur tem uma "queda" por Melissa. Oh... Sim. Mas ela não corresponde, e só o vê como amigo. Como eu disse, a fascinação de Melissa é o homem dos olhos turquesa, que parece não querer muito assunto com ela a princípio. Ainda assim, não é possível para o coração dela aceitar Arthur, que apesar das recusas, insiste, decidido. Eu gostei do Arthur. Bastante. É um personagem de personalidade marcante também. Sua sinceridade e seu gênio também deixam vestígios por onde passa. Mas sou team Vincent. Desculpe. Ainda assim, torço para que Arthur encontre sua plena felicidade nos livros seguintes, e leve algum aprendizado consigo. Penso que seria muito bom deixar uma mensagem de superação de amor não correspondido. Uma mensagem de que nem sempre aquilo que pensamos que é o certo para nós, é de fato o melhor. Se algo que queríamos muito não vem, é porque a vida tem planos melhores, e o que podemos fazer é tentar compreender e esperar. Apesar de ser muito doloroso e difícil, não há muito que fazer. 

  Sinceramente, não entendo o preconceito que as pessoas têm com literatura nacional, e ainda se surpreendem por livros maravilhosos como Cores de Outono terem autores nacionais. Por acaso só porque sou brasileira não tenho capacidade de escrever algo de qualidade? Somos inferiores? Isso é puro determinismo biológico. E com todos os avanços da ciência, deveríamos compreender que esse papo não existe. O livro se passa no Brasil, e isso ajudou muito. Foi como realmente estar em casa. As coisas ficaram muito mais reais e tranquilas para mim. Toda a distância que encontramos com livros que possuem culturas diferentes da nossa é anulada. Acreditem em mim quando eu digo que o fato de ser um livro nacional foi a cereja do bolo. E por favor, vamos repensar e rever nossos conceitos? Os livros nacionais não são só aqueles que te obrigaram a ler na escola e com os quais você não se identificou, ou aqueles que leu e não teve sorte, há muito mais por aí, e seria uma pena perder uma grande história como Cores de Outono por um preconceito bobo. 



  Obs: Ponto positivo para o poema inicial, para a alusão aos clássicos brasileiros e para a receita de brigadeiro no final... ;)





Quotes:

“Existe muito mais, muito além do que você imagina ou do que possa lhe mostrar. A ignorância é uma dádiva protetora, a descoberta transforma.” - Vincent



"Melissa, faça o certo. Não o fácil." - Vincent

"- Palavras são importantes... poderosas. Podem esconder verdades ou revelar mentiras e não gosto de ser protegida por mentiras. Prefiro me machucar com a verdade. - Melissa" 


"Dizem que o tempo voa quando estamos felizes e meu maior desejo era poder parar o tempo."  - Melissa




"Ele andava à minha frente, os ombros tensos. Vincent parecia aborrecido e fiquei com medo de que ele estivesse arrependido por ter me levado até ali. Desejei com todas as minhas forças que isso não fosse mais uma crise de humor e pela vidraça do corredor admirei quatro figuras no gramado perfeito, duas andando e outras duas mais a frente, correndo. Pelo menos Alice parecia feliz... por enquanto. "  



"Ele soltou nossas mãos, e enquanto a minha formigava ele estendeu a dele até meu rosto. Vincent hesitou por um momento, mas depois, com um olhar decidido, esticou um dedo para tocar o canto da minha boca. Um arrepio percorreu minha barriga enquanto seu dedo quente deslizava lentamente por minha pele, acompanhando o contorno do meu lábio inferior."



"- Desculpe se fui ousado, mas você me tirou do sério - falou quase manso, um tanto preocupado.Eu nadava nos oceanos turquesa, por mim ele poderia ser ousado sempre!"



















Onde comprar:

  • Na Saraiva:



  • Na Siciliano:













  
  Então é isso, pessoal. Espero que tenham gostado. O livro realmente é muito mais do que a sinopse diz, e o que me é permitido dizer aqui. Mas vale ressaltar novamente que a parte mágica é algo impressionante e inovador. E o romance? Ainda preciso dizer mais uma vez que é lindo, maravilhoso e fascinante? Então fiquem ligados, porque em breve teremos a reflexão por aqui. E adivinhem só? Um sorteio! Sim. 
  Se ainda não conhecia o blog, a reflexão é um texto onde falo sobre as lições que tirei dos livros, o meu ponto de vista de certas situações e o que elas poderiam acrescentar. Realmente, a minha reflexão. E se quiser participar do sorteio, já siga o blog e fique de olho.


  E claro, não poderia esquecer de deixar aqui meus inúmeros obrigadas por todo o carinho e dedicação da autora Keila Gon. Se vocês sentirem o amor no livro, não é à toa, pois todo ele vem de um coração iluminado e repleto de amor. Muito obrigada por tudo, Keila. É um grande prazer ter você como parceira do blog e mais ainda, receber sua atenção e carinho. Sucesso e tudo de mais maravilhoso que há no mundo, pois você merece!



  Beijos açucarados,
  Vivian Pitança.








  

9 comentários:

  1. Ohhhh Vivian, emocionei aqui....
    E não só pela resenha maravilhosa, pelas palavras carinhosas, mas por saber que "Cores" encantou seu coração!!! Eu que deixo MIL agradecimentos; ) Vou dormir sorrindo muito hoje ahahhahah BEijos Beijos Beijos MUITO agradecidos!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Olhos turquesa, borboletas e sabor de brigadeiro!
    Keila Gon

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *OOOO*
      hahahahaha....

      Encantou de verdade!! Fico muito feliz que tenha gostado!! :DDD

      Muitooooo sucesso e mil beijos!!

      Excluir
  2. Oi tudo bem?
    Nossa bem bacana,tipo suas resenha podem ficar enormes mas realmente são bem reflexivas ^^.Menina tu tem grande talento!
    Goste da frase rssrs bem fofa.
    A capa,sinopse e tudo é lindo, a autora parece ser super simpática.Desejo sucessos!
    Também acho bobeira,gosto de nacionais(pelo menos da para saber a localidade de qualquer coisa) quer paraíso ricos em lindas paisagens melhor que Brasil? rsrsrs
    Admiro muito e meu sonho é que todos passassem a gostar também!
    bjus querida!
    Tamires C.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!! xD
      Ela é muito diva! xD
      Sim, os nacionais são ótimos.

      Beijos.

      Excluir
  3. Nossa se eu já tava louco pela chegada do livro agora estou praticamente pirando, preciso ler "Cores" e tirar minhas conclusões!
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu curto literatura nacional, na verdade gosto de estorias e tudo que tem o gênero que curto eu leio não importa da onde é, acho esse preconceito pelo nacional ridículo, estou no meio desse livro a estoria é boa o Vicent é muito fofo

    bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demais!
      É mara! Depois me diga o que achou!
      Beijos.

      Excluir
  5. Oiee =)
    você é feia, hein?!
    Sim, feia, lendo o livro antes de mim e o piro nem o tenho AINDA tsc tsc, mas terei, tua resenha só veio confirmar com as outras que tenho lido, o livro é bom!
    Não entendo também esse preconceito com a literatura nacional, tá tens uns livros ruins de fato, mas estrangeiros também, poxaa!
    Gostei disso cereja no bolo, rsrs, e dos quotes.

    Beliscões

    ResponderExcluir

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.