24 março 2016

Resenha: Beleza Perdida


- Livro cedido em parceria com a editora -


Autora: Amy Harmon
Editora: Verus - Grupo Editorial Record
Assunto/ Categoria: Romance, Romance dramático, New Adult, Pós-guerra, Traumas da Guerra, Ficção Americana.
Páginas: 336
Sinopse: Ambrose Young é lindo — alto e musculoso, com cabelos que chegam aos ombros e olhos penetrantes. O tipo de beleza que poderia figurar na capa de um romance, e Fern Taylor saberia, pois devora esse tipo de livro desde os treze anos. Mas, por ele ser tão bonito, Fern nunca imaginou que poderia ter Ambrose… até tudo na vida dele mudar. Beleza perdida é a história de uma cidadezinha onde cinco jovens vão para a guerra e apenas um retorna. É uma história sobre perdas — perda coletiva, perda individual, perda da beleza, perda de vidas, perda de identidade, mas também ganhos incalculáveis. É um conto sobre o amor inabalável de uma garota por um guerreiro ferido. Este é um livro profundo e emocionante sobre a amizade que supera a tristeza, sobre o heroísmo que desafia as definições comuns, além de uma releitura moderna de A Bela e a Fera, que nos faz descobrir que há tanto beleza quanto ferocidade em todos nós.




Para aqueles que querem enxergar com o coração
Beleza Perdida com certeza é um livro muito especial, e não falo isso pela capa diva nem por ser uma releitura moderna de A Bela e a Fera (amo! ♥). O livro conta a história de Fern Taylor e Ambrose Young. Fern é uma menina tímida e sem muita autoestima, apaixonada por Ambrose - o cara, garoto, mais conhecido e desejado da cidade. Ambrose no início é o atleta e melhor lutador da equipe de luta livre da cidade, um garoto com sonhos, considerado também de uma aparência incrível e com tudo para dar mais do que certo. Até o dia 11 de setembro de 2001. Se ficássemos só no menina recatada com garoto popular, seria mais uma história em que a garota se surpreende por ser especial ao ver que outro nota nela (e nada dela mesma se amar como deveria!), mas aqui o jogo vira, como já se pode imaginar por ter uma intertextualidade com A Bela e a Fera.

Após o atentado das Torres Gêmeas, onde Ambrose sentiu que poderia ter perdido a mãe, ele decide se alistar nas forças armadas e ir para a guerra desencadeada após o atentado, mas mais do que isso: convence seu grupo de amigos (todos também lutadores) a ir com ele. Não é spoiler dizer que dessa guerra apenas ele retorna (está nas sinopses do livro). Ambrose retorna meio cego, com debilidades físicas e com o rosto deformado, muito diferente do lindo jovem que partiu; e o pior de tudo: com a alma em pedaços e a culpa e a perda maiores que tudo. Enquanto isso, Fern ficou na cidade sempre tentando acompanhar a vida de Ambrose e nunca tendo deixado de amá-lo. Quando ele volta, ela trabalha num mercado à noite perto do novo refúgio de Ambrose. É aí que eles se reencontram...

Antes de parar de dar uma visão geral do livro, preciso falar de Brailey, que é primo de Fern, fã de Ambrose e tem distrofia muscular de Duchenne, ou seja, desde criança foi perdendo movimentos do corpo, até estar paralisado, e viveu toda sua vida sabendo que teria pouco tempo. Ao invés de ser revoltado, Brailey é o personagem mais "iluminado" e genial do livro. É ele quem traz mensagens positivas, ajuda o casal, sendo amigo dos dois (sempre foi o melhor amigo de Fern) e monta todo um enredo à parte enriquecendo ainda mais o livro. Sua participação na história é fundamental e com certeza pode te arrancar diversas emoções, do riso ao choro. Brailey nos faz refletir sobre como encaramos a vida e suas dificuldades, se nos deixamos vencer ou rebatemos, com uma doçura linda de se ver. Virou um dos meus personagens favoritos do mundo, com certeza.

Além da óbvia luta pela superação que envolverá o romance, de regeneração de Ambrose e autodescoberta de Fern, Beleza Perdida traz a todo o momento o debate sobre a importância que se dá à beleza e o que seria a verdadeira beleza. Acompanhamos a trajetória dos personagens desde sua adolescência e infância, temos trechos no passado e vemos como a questão esteve presente em toda a vida deles, apesar de se mostrarem, até Ambrose, muito além da beleza, com mentes e corações mais profundos do que a aparência inicial. Esse tema já foi abordado antes, com certeza (tá aí A Bela e a Fera que não me deixa mentir), mas aqui é de forma mais direta, aberta, e num contexto diferente, já que envolve destroços da guerra que chegam até a alma e destroços de uma infância de baixa autoestima causada pela grande pressão social que uma garota de qualquer idade sofre. A semelhança com o conto de fadas é que percebemos que em todos os personagens, a beleza ou falta de beleza está no coração, além das camadas superficiais e das máscaras que as pessoas vestem todos os dias para encarar o mundo.


Um romance dramático e doce ao mesmo tempo, triste e divertido, que poderia parecer feio para quem é cego e só enxerga o lado superficial, mas que é lindo. E com muitas cenas que são puro amor e demonstram uma conexão entre o casal super gostosa de se ver. É para se apaixonar com certeza por Fern, Ambrose e Brailey, e para refletir muito, muito mesmo, já que se trata de um romance em que a questão da aparência física é realmente posta em jogo. Em que os personagens se apaixonam por quem a pessoa é de verdade, e não pela aparência física que causa uma "atração irresistível que por acaso dá certo depois", como vemos em muitos romances por aí. De todas as releituras de contos de fadas possíveis, talvez esta seja a que mais importa e agrega algo à sociedade em que vivemos.

5 Estrelas
Favorito ♥

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentem à vontade, reflitam bastante, se divirtam e suspirem. Por favor, respeitem as seguintes regras:

-Os comentários devem se referir ao post em questão.

-Comentários que só contém divulgação de blogs estão proibidos. Se quiserem, comentem e deixem o link do blog no final. Sempre respeitando, o espaço alheio.

Muito obrigada e voltem sempre.

.
© Reflexão Literária - 2015. Todos os direitos reservados.
Criado por: Vivian Pitança.
Tecnologia do Blogger.